Sexta-feira, 25 de Abril de 2014

ENCONTRO 2014

 

 

 

 

 

Caro companheiro do Batalhão de Caçadores 4617, mais um ano passou e mais uma vez nos vamos encontrar para comemorar novo aniversário do nosso regresso de Angola, após o cumprimento do nosso serviço Militar, vamos comemorar o 39º Aniversário, o tempo não pára, é um relógio que passa muito rápido, em especial nas nossas idades, mas, o mais importante é que haja saúde.

O nosso XIII encontro e convívio de confraternização, será no dia 10 de Maio, (Sábado), em Vila Nova de Gaia, com o programa abaixo indicado;

10H00 – Ponto de Encontro; Monte da Virgem, Alameda Monte da Virgem, Vila Nova de Gaia

11H00 – Missa em memória dos ex-companheiros já falecidos, na Igreja do Santuário do Monte da Virgem.                                  

13H00 – Almoço na Quinta da Boucinha, Avenida Vasco da Gama, Vª. Nova de Gaia


Cada companheiro é importante, e a sua ausência não é substituída por nenhum outro, por isso os que residem no Norte do País, e que nunca puderam comparecer, (ou o fizeram poucas vezes) têm agora uma grande oportunidade de nos brindar com a sua presença.
Assim pensando no esforço de muitos, que fazem sacrifícios para estarem presentes, vamos todos estar no dia 10 de Maio em Vila Nova de Gaia, e comemorar mais um aniversário.

Aguardo a vossa confirmação, e dos familiares que vos acompanham, para mais uma grande jornada de confraternização, e recordação dos bons tempos passados, no Leste de Angola. Para os companheiros, que não seja possível comparecer ao encontro, não deixem de dar a vossa resposta, é sempre bem vinda, seja ela por, telefone, e-mail, ou msn.

Contacto; Joaquim Gil, Tel. 91 438 01 26  E-mail : jmvgil@gmail.com
Preço por Pessoa – 30,00 € - Crianças dos 4 aos 9 Anos – 13,50 €
Formas de Pagamento: Transferência Bancária, Depósito Bancário, e no dia do encontro.
Guardar recibo para confirmação, no caso do não envio.
Nº de Conta : C.G.D. – 0446 003650 500      -       NIB – 0035.0446.00003650500.26

PS: Um pedido para os companheiros, que ainda não recebem as cartas por e-mail, e se o tiverem, (pode ser dos filhos, no caso de não terem) peço o favor, que o mesmo me seja facultado, para futuro é bom para quem organiza, e também mais económico, este pedido é também para os companheiros que não possam comparecer.

 


CONCENTRAÇÃO


PARA QUEM VAI DO SUL, PARA NORTE, A1 e A20
1ª Alternativa: na A1, após a passagem das portagens de Grijó, mais a frente convergir com A20 Porto/(Freixo)/Gaia, após cerca de 3km, sair para N222/Gaia/Vilar Andorinho.
Na N222 (Avenida Vasco da Gama), após 2km na 1ª rotunda sair pela 2ª saída para a rua Arcos do Sardão, passados 0,3km virar a direita em direcção a Monte da Virgem e seguir as indicações das placas, Monte da Virgem e Hospital.        

IMPORTANTE: Na rotunda indicada anteriormente, é só seguir a sinalética, Monte da Virgem e Hospital, e não tem nada que enganar, o Hospital Santos Silva fica em frente ao Monte da Virgem.

2ª Alternativa: após portagens de Grijó, seguir a saída A1 em direcção ao Porto, Ponte da Arrábida, e seguir as direcções IC2/Porto-Arrábida/Gaia, manter-se à direita, passados 4,6 km seguir em direcção a Gaia/Stº. Ovido, 0,6km convergir com Av. da República/N222 -  47m, curva ligeiramente a direita na direcção à Av. da República, 0,2km, curva ligeiramente à esquerda em direcção a Rua Soares Reis, 15m na rotunda seguir pela 1ª saída para rua Conceição Fernandes, passados 1,9km virar a esquerda, para a Alameda Monte da Virgem, em frente ao Hospital Santos Silva.

PARA QUEM VAI DE NORTE PARA SUL
Para quem atravessar a Ponte do Freixo, é seguir a 1ª alternativa, e na A20 sair na direcção a N222 (Av. Vasco da Gama), Gaia.

Para quem atravessar a Ponte da Arrábida, é seguir a 2ª alternativa, e na A1 sair em direcção a Gaia/Stº Ovido, Av. da República, Gaia.

Quinta da Boucinha

 


EMENTA DE ALMOÇO
Aperitivos – Chouriço, Entrecosto e Linguiça na grelha, Rojõezinhos com pikles, Pizza, Morcela com maçã, Lulas Douradas, Bola de Carne, Bolinhos de Bacalhau, Croquetes de Vitela, Rissóis de Carne, Rissóis de Marisco, Saladas, Azeitonas Marinadas com Orégãos. – Porto Seco/Vermout/Gin /Vinho Branco / Tinto / Sumos / Refrigerantes / Água.

QuentesSopa: de Legumes, Peixe: Bacalhau à Boucinha, Carne: Noisettes de Novilho à
                  Madeirense.

Bebidas – Vinho Tinto / Branco / Verde / Refrigerantes/Águas

Sobremesas - Mesa de Doces, e Frutas.

CaféDigestivos - Bolo ComemorativoEspumante

publicado por webmaster às 20:33
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 29 de Janeiro de 2013

ENCONTRO 2013

Torres Vedras

 Companheiro,

Aproxima-se novo encontro onde iremos comemorar o 38º. aniversário do nosso regresso de Angola e o 12º. encontro a nível do Batalhão e, tal como foi anunciado em Viseu, será no próximo dia 27 de Abril de 2013.
Como também foi informado, iria ser mais no centro do país, na zona Oeste, mais propriamente na região "saloia".  Assim, o nosso ponto de encontro será na bonita cidade de Torres Vedras de onde seguiremos, mais tarde, para a "Quinta da Luz" em Casal do Forno, local onde terá lugar o almoço convívio.
Parque da Várzea - Torres Vedras

 

Ainda não são necessárias "confirmações" de presenças mas, seria óptimo que todos pudessem estar presente e, sendo assim, gostariamos que marcassem na vossa agenda o dia 27 de Abril, para comemorarmos esta efeméride e cimentar a nossa sincera amizade que perdura há vários anos.  Sabemos que as oportunidades, no futuro, irão ser cada vez mais difíceis, para podermos estar juntos. Faz um esforço e divulga este nosso encontro com os companheiros, com quem tenhas contacto, e vem.
Brevemente daremos mais informações.
Quinta da Luz - Torres Vedras
publicado por webmaster às 20:34
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 7 de Maio de 2012

11º ENCONTRO (2012)

Foi no passado dia 28 de Abril que se reuniram, na bonita cidade de Viriato, os elementos do Batalhão que não quizeram deixar passar em claro a comemoração do 37º aniversário do regresso de Angola, após o cumprimento do Serviço Militar.

Como aconteceu nos últimos anos, coube à 3ª Companhia a maior representatitividade e à 1ª Companhia a presença de um número exíguo de companheiros, possívelmente devido à distância geográfica que separa as suas residências do local do encontro, uma vez que práticamente todos são convidados para estes eventos.

Cumprindo o programa pré-estabelecido, pelas 10 horas, deu-se o encontro dos convivas, junto à Estátua de Viriato, no Largo da Feira de São Mateus, onde se procedeu às fotos da praxe.

 C. C. S.

 

 1ª Companhia
 
2ª Companhia 
 
3ª Companhia 
  
Grupo
 
 Pelas 12 horas, os presentes interessados, rumaram à igreja de Nª Senhora da Conceição onde foi celebrada missa em memória dos companheiros já falecidos. Uma hora depois, rumaram à Quinta dos Compadres, sita na Avenida Alto de Abraveses em Viseu, onde os esperava um grupo musical como comissão de boas vindas e onde foi servido o lauto almoço permitindo então a troca de cumprimentos entre os presentes, assim como a indispensável recordação das lembranças dos tempos idos. 
 
Comissão de boas vindas
 
 Concentração para o almoço
 
Vista do almoço - 1 
 
Vista do almoço - 2 
 

Terminou mais este encontro/convívio com o já costumado bolo comemorativo, que serviu de base às "saúdes" e às despedidas até ao próximo encontro a realizar já no próximo ano, num local deste pequeno, mas querido, Portugal. Até lá, um bem-haja aos organizadores de mais este acontecimento.

 
publicado por webmaster às 17:47
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 5 de Abril de 2012

APRESENTAÇÃO DO LIVRO

FEITA POR OCASIÃO DO 10º ENCONTRO DP BATALHÃO

Nesta data de mais uma confraternização do Batalhão de Caçadores 4617/73, temos perante todos nós um livro da autoria do Senhor Coronel Luís Albino Castel-Branco Alves da Silva, que foi, como Major, o 2º Comandante do nosso Batalhão, com o sugestivo título "MEMÓRIAS DA DESCOLONIZAÇÃO EM ANGOLA", "MOMENTOS DE CONVERGÊNCIA". Foi com muito gosto que aceitei a incumbência de, neste nosso convívio de 2011, fazer a apresentação do livro em causa.

Começo por fazer uma breve resenha sobre a biografia do autor do livro.

Nasceu em Lisboa no dia 16 de Julho de 1938. Tendo enveredado pela carreira militar, licenciou-se em Ciências Militares (Arma de Artilharia) na Academia Militar (1957/1960).

No período compreendido entre 1961 e 1975, com os Postos de Alferes, Capitão e Major, realizou 4 Comissões de Serviço em África: 2 na Guiné, de 1961 a 1963 e de 1968 a 1970, e 2 em Angola, de 1965 a 1967 e de 1974 a 1975.

Foi Comandante da 3ª Companhia do Corpo de Alunos da Academia Militar e Instrutor de Táctica de Artilharia (1970/1971).

No Instituto de Altos Estudos Militares, tirou os Cursos Geral e Complementar de Estado-Maior (1971/1974). Tirou vários Cursos dos âmbitos de Organização, de Sistemas de Informação e da área Informática.

Esteve colocado no Comando-Geral da Guarda-fiscal de 1976 a 1982, onde desempenhou funções de Chefe de Repartição de Operações e de Chefe da Informática. Implementou no Aeroporto de Lisboa um Sistema Informático para o Controlo de Passageiros.

Foi Comandante do Grupo de Artilharia de Guarnição dos Açores (1984/1985). Foi promovido a Coronel em 1987. Nomeado para a frequência do Curso Superior de Comando e Direcção, mais conhecido, na altura, como o Curso de Promoção a Oficial General no Instituto de Altos Estudos Militares, no ano lectivo de 1990-1991, frequentou o curso apenas até Janeiro de 1991, por ter pedido a passagem à situação de Reforma Extraordinária Voluntária Antecipada, por razões de natureza familiar.

Durante a sua carreira militar, foram-lhe atribuídos 18 Louvores e 11 Medalhas.

Perante este tão brilhante currículo militar, temos de reconhecer que estamos na presença de um homem que, com total abnegação e espírito de sacrifício, dedicou grande parte da sua vida à causa que decidiu abraçar: a carreira militar.

O Senhor Coronel Alves da Silva, então Major Alves da Silva, tendo chegado a Luanda no dia 28 de Dezembro de 1974, chegou a Henrique Carvalho (Saurimo), cidade denominada de capital da Lunda, a 13 de Janeiro de 1975.

Como é sabido, foi substituir o nosso anterior 2º Comandante Major Maia Rebolho, o qual, por razões que para aqui não relevam, teve de regressar a Portugal.

Nessa altura, e na sequência da rotação que o Batalhão tivera (inicialmente teve a sua sede em Dala, onde se encontravam o Comando e a CCS, estando as três Companhias Operacionais em Cazage – a 1ª –, em Alto Chicapa – a 2ª – e em Chimbila – a 3ª), estavam o Comando, a CCS e a 3ª Companhia em Henrique Carvalho (Saurimo), a 1ª Companhia em Camaquenzo e a 2ª Companhia dividida por Lucapa e Cacolo.

Sabendo nós – os que estávamos em Henrique Carvalho (Saurimo) (eu, como Comandante da 3ª Companhia, encontrava-me lá) – que íamos ter um novo 2º Comandante, fomos procurando saber que tipo de pessoa seria.

Fomos, então, confrontados com a informação de que se tratava de um Major de Artilharia (facto que nos surpreendeu, pois que o nosso Batalhão era de Infantaria) que fazia parte do COPCON (Comando Operacional do Continente), Comando que, pelo que se ouvia dizer em Angola, tinha, por vezes, comportamentos pouco abonatórios no período revolucionário que se vivia em Portugal.

Só que as coisas, felizmente, nem sempre são aquilo que parecem.

Logo nos primeiros contactos que tive com o Senhor Major Alves da Silva verifiquei que estávamos perante um Oficial competentíssimo, muito bem preparado para a missão que ia desempenhar, tendo em conta o facto de, devido ao 25 de Abril de 1974, se ter encetado o período de descolonização, e com sentido de humanidade deslumbrante.

Vou aqui contar o seguinte episódio:

Na manhã do dia seguinte à sua chegada ao Batalhão, o Senhor Major Alves da Silva pediu-me para o acompanhar numa visita ao Quartel (a todas as suas instalações).

Em todos os locais por onde passava, fazia questão de conversar com os seus militares, cumprimentando-os com a mão, mostrando ser um homem de uma grande simplicidade e de uma grande amizade por todos aqueles com quem passaria a privar, chegando mesmo ao ponto de, na cozinha, perante praças que, tendo as mãos sujas devido ao trabalho de confecção da comida, procuravam esquivar-se a estender a mão para o cumprimentar, dizer-lhes que não se preocupassem, pois que, depois, lavaria a mão, cumprimentando-os, portanto.

Bastaram, assim, poucas horas para todos nós concluirmos que estávamos perante um grande Oficial do Exército, um excelente 2º Comandante e, acima de tudo, perante um grande Amigo dos seus subordinados, fossem eles Oficiais, Sargentos ou Praças.

Exemplo flagrante e sugestivo da sua grande amizade para com os soldados está no facto de, pouco tempo depois de ter chegado ao Batalhão, e perante a ausência de uma sala de convívio dos soldados, ter implementado a criação da sala que foi designada por "Sala do Soldado".

O livro que temos perante nós retrata precisamente o que foram, na zona onde estivemos, as tarefas de descolonização.

Foi um trabalho árduo, com muitos avanços e recuos, perante movimentos de libertação que nem sempre (direi melhor: raramente) se entendiam.

Quantas vezes, eu, que já tinha estado no Norte de Angola (Songo e Carmona, agora Uíge), como Alferes Miliciano, a fazer o estágio do Curso de Comandantes de Companhia, a que fui obrigado no cumprimento do serviço militar obrigatório, que tinha andado, em operações militares, pelas serras da Mucaba e do Uíge, cheguei a admitir que a fase da descolonização era bem mais difícil, designadamente no aspecto psicológico, do que o período vivido anteriormente em zonas perigosas da guerra colonial.

A verdade é que a actuação do nosso Batalhão foi coroada de êxito, como bem o demonstra o livro escrito pelo Senhor Coronel Alves da Silva.

A guerra entre os movimentos de libertação, que foi grassando pelas diversas cidades de Angola, só chegou a Henrique Carvalho (Saurimo) e a outros locais controlados pelo nosso Batalhão algum tempo após a nossa saída para Luanda, numa altura em que estava lá um Batalhão de Cavalaria que nos foi substituir, o qual foi formado em Portugal já no período post-25 de Abril 1974.

Para o assinalado êxito do nosso Batalhão foi preponderante a actuação firme, determinada e responsável do Senhor Coronel Alves da Silva, o qual, perante tantos conflitos entre elementos de diferentes movimentos de libertação, sempre os soube dirimir, procurando evitar um banho de sangue, com as consequências altamente nefastas, não só para o processo de descolonização em curso, mas essencialmente para a vida e o bem-estar das populações.

O livro retrata a actuação conjunta do Batalhão com os movimentos de libertação, quer através de um Estado-Maior Unificado do Distrito da Lunda, quer através de Patrulhas Militares Mistas e Rondas Urbanas, Militares e Policiais Mistas.

Acho que não devo falar mais sobre o conteúdo do livro.

Senhor Coronel Alves da Silva:

Apresento-lhe os meus Parabéns e os meus Agradecimentos pelo livro que em boa hora decidiu colocar no prelo, desejando ao meu Coronel, a sua Excelentíssima Mulher, Drª Maria Helena, aos vossos Filhos, Netos e Netas e a toda a restante Família muita Saúde e as maiores Felicidades, pois bem merecem.

Direi ainda – e para terminar – que o livro, além de constituir uma homenagem ao Batalhão de Caçadores 4617/73, pelo papel que, confrontado, em terras de Angola, com a ocorrência da denominada Revolução dos Cravos, desempenhou na fase da descolonização, constitui acima de tudo um contributo precioso para a História da Descolonização de Angola, certos que todos estamos de que a descolonização das então chamadas "Províncias Ultramarinas Portuguesas" nem sempre se pautou pela salvaguarda dos interesses das respectivas populações, independentemente da sua raça, pois, como bem dizia o Senhor Coronel Manuel Teodoro Ramos, Governador do Distrito da Lunda, em cartazes afixados por toda a cidade de Henrique de Carvalho (Saurimo), "SÓ HÁ DUAS RAÇAS: HOMENS E MULHERES".

 

ALMADA, 30 de Abril de 2011

Camilo Moreira Camilo

publicado por webmaster às 17:01
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Sábado, 17 de Dezembro de 2011

Encontro surpresa!

Em meados de Agosto de 2011, decorria nas escarpas de S. Nicolau, em Setúbal, mais uma edição da "FESTANIMA", onde o União Comércio e Industria, tem pavilhão de exposição. Como costumo fazer normalmente, desloquei-me ao Campo da Bela Vista, para saber novidades sobre a actividade do clube, quando fui alertado por um companheiro dos orgãos estatutários, que alguém me havia procurado, alegando ter pertencido ao mesmo Batalhão e ter estado comigo em Angola.

Claro que fiquei curioso e, depois de saber que não havia sido deixado nenhum dado para posterior contacto, disse à pessoa que me transmitira o recado que, caso o mesmo individuo me voltasse a procurar, lhe fornecesse o meu número de "telélé".

Foi com surpresa que, dias depois, recebi uma chamada do amigo António Fresco, com acentuado sotaque "camone" (não estivesse ele radicado nos E.U.A., desde que regressamos de Angola) que formulava desejos de me encontrar pois estava a passar férias em Portugal.

Encontramo-nos, efectivamente, num bonito local, sobranceiro ao Rio Sado e com boa visibilidade sobre a península de Troia, recordando alguns momentos quer da adolescência (fomos da mesma turma nos dois anos do Ciclo Preparatório) quer da comissão em Angola.

Uma tarde, bem passada, da qual ficou a foto que aqui publico e que me fêz rebuscar nos meus arquivos uma que havia sido tirada no início de 1974, á porta da messe de sargentos do aquartelamento da Funda.

Até à próxima, companheiro Fresco. Sê tão feliz como eu desejo ser!

publicado por webmaster às 19:44
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 15 de Dezembro de 2011

11º ENCONTRO DO BATALHÃO, JÁ NA FORJA

Vista geral de Viseu

Companheiro,

O tempo é um relógio, não para, e na nossa idade, parece que passa ainda mais rápido, isto para dizer que ainda há pouco tempo estivemos reunidos em Almada a comemorar um aniversário do nosso regresso do serviço militar, e já se aproxima outro.

Viseu, cidade de Viriato

No próximo encontro vamos comemorar o 37º Aniversário do nosso regresso, e será o 11º encontro do nosso Batalhão, a ter lugar no dia 28 de Abril de 2012, na bela cidade de Viseu, o almoço será servido na "Quinta dos Compadres".

Viseu, parque Pavia

Esta informação é para lembrar aqueles que estiveram presentes, no nosso último encontro, e igualmente aqueles que não puderam comparecer, para não se esquecerem de marcar na vossa agenda, o dia 28 de Abril para mais um encontro, e não se irão arrepender, pois o local onde vai ser servido o almoço bem o merece, mas o mais importante é o nosso convívio, e a nossa amizade que perdura mesmo com o passar dos anos, não  esquecendo que as oportunidades de estarmos juntos, terão tendência para reduzir, por isso temos de aproveitar, não deixemos acabar o que deu tanto trabalho a concretizar.

 

Aproveitamos a presente época para formular os votos de Festas Felizes a todos os companheiros e respectivas familias.

publicado por webmaster às 23:26
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 17 de Junho de 2011

10º Encontro do Batalhão

No passado dia 30 de Abril de 2011 concentraram-se, na bonita cidade de Almada, os elementos que integraram o Batalhão de Caçadores 4617/73, acompanhados de suas esposas, filhos e netos, para comemorar mais um Aniversário do regresso de Angola, após o cumprimento do serviço Militar.

 

Junto ao monumento ao Cristo Rei, ex-libris daquela cidade, teve início o encontro dos ex-companheiros de armas que, não fossem as condições climatéricas adversas, teriam uma impressionante vista sobre a capital, o rio Tejo e a zona norte do Distrito de Setúbal.

Com a chegada dos primeiros convivas, teve início a recordação de tempos idos, de aventuras e desventuras da juventude, que o passar do tempo não conseguiu desvanecer.

 

 Após a concentração e a missa de sufrágio em memória dos companheiros já falecidos, que teve lugar na igreja do santuário, encaminharam-se todos aqueles que anuiram ao convite, para a Quinta da Estrelinha, em Monte Caparica, onde estava marcado o repasto.

Á chegada, como é hábito, houve que posar para as fotos do Batalhão e das respectivas companhias. Como se pode verificar, se a CCS e a 3ª Companhia se encontravam representadas por um apreciável número de elementos, quer a 2ª Companhia e sobretudo a 1ª Companhia mobilizaram um diminuto número de representantes, o que suscita a seguinte questão: - Mas onde anda o resto do pessoal?

  

   

    

   

  

 Já à mesa, os presentes poderam apreciar a ementa do almoço constituida por:

  

Aperitivo - Rissóis de Marisco, Pastelinhos de Bacalhau, Chamuças Vegetarianas, Patés, Queijo Brie quente com Mel Pólen de Flores, Casca de Sapateira recheada com tostinhas.

 

Bebidas - Sumos diversos, Moscatel de Setúbal, Gin Gordons, Vinho Branco Seco, Sangria de Champanhe c/ Frutos Vermelhos, Caipirinha, Vodka, Whisky Novo, Coca-cola, Águas Minerais. 

 

 

Iguarias Quentes - Sopa (Puré de Feijão c/ Nabiças) - Bacalhau à Posta c/ Broa Assada a murro, Grelos Salteados e Vinho Moscatel - Lombinhos de Porco c/ Migas de Espargos Verdes, Castanhas e Laranjas às rodelas - Pão Diverso.

 

Bebidas da refeição - Vinho Branco de Marca, Vinho Tinto de Marca, Cervejas, Sumos Laranja/Limão, Águas Minerais.

 

Sobremesa em Buffet - Pudim de Ovos, Leite-creme, Salada de Frutas, Bolo de Chocolate, Frutas Laminadas, Mousse de Manga, Castanhas de Ovos, Tartes, Profiteroles com Molho  de Chocolate.

 

Café

 

Digestivos - Licores, Whisky Novo, Aguardentes Velhas.

 

Bolo - Festivo - Aniversário - Champanhe.

 

  

 
 
 
 

Durante o repasto, o sempre "nosso Major"  Alves da Silva, com a ajuda do também sempre "nosso Capitão" Camilo, fizeram a apresentação da obra literária recentemente publicada, da autoria do primeiro, intitulada "Momentos de Convergência", que deixou nos presentes e seus familiares, a vontade de procederem brevemente à sua leitura.

 

 De tal forma, que foram muitos os que o adquiriram de imediato. Aqui ilustramos a capa da referida obra, para mais fácil identificação. Logo que saibamos como pode ser adquirida em qualquer parte do país, daremos as necessárias informações

A obra tem como tema a última fase de actuação do nosso Batalhão e o seu papel na constituição das Forças Militares Mistas, que ao contrário de outras regiões, foi um objectivo atingido no distrito da Lunda Norte.

 

 Como já é costume, a festa terminou com a degustação do bolo de aniversário, regressando os convivas aos seus lares com a promessa de se voltarem a encontrar no próximo ano para mais um convívio, desta vez, provávelmente na bonita zona de Viseu.

Até lá, muita saúde e felicidades para todos e que sejamos mais a confraternizar. 

publicado por webmaster às 10:35
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 8 de Setembro de 2010

9º Encontro do Batalhão

 

35º aniversáriodo nosso regresso do serviço militar

Foram os companheiros, que integraram o dispositivo do Batalhão de Caçadores 4617/73 em Angola, convidados para as comemorações do 35.º Aniversário do nosso regresso do serviço militar, o qual representou o nosso 9.º Encontro, e decorreu no passado dia 17 de Abril de 2010, na Gafanha da Encarnação em Aveiro.

O dia nasceu primaveril premiando todos aqueles que poderam dizer "sim" ao apelo e sairam de suas casas em direcção à bonita "Veneza portuguesa", onde ocorreu a concentração.

  

Entre muitos abraços daqueles que habitualmente se vão encontrando e daqueles que nunca tinham beneficiado da oportunidade de rever os antigos companheiros volvidos estes 35 anos, foram-se recordando passagens e acontecimentos que dominaram a nossa juventude e nos marcaram de qualquer forma para sempre.

Após a realização da missa à memória daqueles que, por já não se encontrarem entre nós, não têm o previlégio de poderem gozar estes momentos de saudável convívio, rumamos em direcção ao restaurante "A Estufa", onde se fizeram as poses para as fotos de conjunto das companhias e do batalhão, tendo no horizonte uma bonita vista sobre a "marina da bruxa".

 

 

  

 

Depois, fizeram-se horas de "dar trabalho ao dente", continuando as conversas a versar os acontecimentos de ontem e de hoje, porque após 35 anos de vida há muito para contar.

 

 

 

  

 


Após o corte do bolo de aniversário e porque, para alguns, havia um longo caminho a percorrer até casa, fizeram-se as despedidas e a esperança de um novo encontro para o próximo ano.

publicado por webmaster às 16:24
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 11 de Abril de 2009

BREVE HISTÓRIA DA UNIDADE I

CAPITULO I - Mobilização, Composição, Deslocamento e I.A.O.

 

1 - MOBILIZAÇÃO

Regimento de Infantaria 16 - ÉvoraA mobilização do Batalhão de Caçadores nº 4617/73 foi determinada pelo EME / 1ª Repartição / Secção de Administração e Mobilização. Destinado à R.M.A. (Região Militar de Angola), teve como Unidade Mobilizadora o Regimento de Infantaria nº 16, aquartelado em Évora.

 

Foram nomeados para o Comando:

  1. Comandante o Sr. Tenente Coronel de Infª., ARTUR LOURENÇO, desmobilizado posteriormente e substituido no cargo pelo Sr. Tenente Coronel de Infª. FERNANDO SANTANA GUAPO;
  2. 2º Comandante o Sr. Major de Infª. JOÃO RICARDO MAIA REBOLHO;
  3. Oficial de Operações o Sr. Capitão de Infª. JOSÉ MANUEL FREDERICO PIRES.

2 - COMPOSIÇÃO

No R.I. 16, Unidade Mobilizadora, constituí-se o Batalhão e aí foi ministrada E.P.G. e Instrução de Especialidades (At. Inf.). Após esta fase o Batalhão deslocou-se para o CIM (Santa Margarida) por falta de instalações suficientes no R.I. 16, onde se acabou de constituir e onde foi ministrada durante duas semanas a I.O., a qual não chegou a completar-se em virtude do Batalhão ter visto a ordem de embarque antecipada, após o "Golpe Militar das Caldas da Rainha" em 16MAR74.

Dos quadros do Batalhão, frequentaram Cursos e Estágios, ainda na Metrópole, os seguintes elementos:

  • Oficial de Operações, o estágio de observação e PCAéreo, no CIM;
  • 1 Asp.Of.Mil. e 2 1ºs Cabos Mil. sapadores, o curso de Minas e Armadilhas, na Escola Prática de Engenharia, de 22OUT73 a 07DEZ73;
  • O Oficial de Reconhecimento e Informações e 3 1ºs Cabos Mil. da CCS, bem como um Asp.Of.Mil. e um 1º Cabo Mil. por cada C.Caç., o curso de Operações Especiais no C.I.O.E., de 16JUL73 a 30SET73;
  • O 1º Cabo Mil. de Operações e Informações, o estágio de Informações no R.I. 6 de 03JAN74 a 24FEV74.

O Batalhão tem nos seus efectivos, elementos provenientes de quase todas as Províncias da Metrópole, das Ilhas Adjacentes e da Província de Angola (1 grupo de mesclagem por Companhia).

 

O B.CAÇ. 4617 compõe-se de:

3 - DESLOCAMENTO

Em 02ABR74 o Batalhão fez a sua despedida perante as Autoridades Militares e Civis, na àrea do 3º R.I. (Santa Margarida), tendo-se nessa altura procedido à entrega do Guião e Flâmulas.

Guião do Batalhão de Caçadores 4617/73

Proferiu alocuções, o sr. Coronel Tirocinado do QG/3ª Divisão em representação de S. Exª. o General Comandante da R.M.Tomar.

Respondeu-lhe o Sr. Comandante do Batalhão, que agradeceu e disse da determinação de todos os elementos cumprirem a sua divisa:

"CONDUTA BRAVA E EM TUDO DISTINTA"

Terminada a cerimónia, o Batalhão desfilou em continência às Autoridades Militares e Civis presentes, em tribuna montada no local da cerimónia.

Às 16 horas do mesmo dia a C.C.S. e Comando, embarcaram em autocarros civis, com destino ao Aeroporto da Portela em Lisboa, onde às 23 horas se iniciou o embarque com destino a Luanda.

 

O transporte de cada Companhia, foi respectivamente efectuado em avião "Boeing 707" dos TRANSPORTES AÉREOS MILITARES, tendo a C.C.S. chegado à Província às 8,30 horas do dia 03ABR74, a 1ª C.CAÇ. às 08,30 horas do dia 07ABR74, a 2ª C.CAÇ. às 08.30 horas do dia 10ABR74 e a 3ª C.CAÇ. às 08.30 horas do dia 14ABR74, instalando-se provisóriamente no Campo Militar do Grafanil, nos arredores de Luanda.

Campo Militar do Grafanil

4 - I.A.O.

Tendo saído do CAMPO MILITAR DO GRAFANIL em 10ABR74, o Batalhão ocupou as instalações da FUNDA, localidade a cerca de 70 Kms a norte de Luanda, onde decorreu o I.A.O., durante o qual foi recebida a visita de S. Exª. o GENERAL ALBERTY CORREIA, 2º Comandante da RMA.

As condições de instalação eram más, o clima era bastante insalubre tendo até aparecido alguns casos de paludismo.

Instalações da Fazenda da Funda onde decorreu o IAO

Para efeitos de I.A.O. esteve adida a este B.CAÇ. a C.CAÇ 4947.

Acabada a I.A.O. em 06MAI74, deslocou-se de novo o B.CAÇ 4617 para o CAMPO MILITAR DO GRAFANIL, aguardando transporte para a zona atribuída, onde se operou a rendição em 20MAI74, depois de mais de 1.100 Kms de viagem e 8 dias de sobreposição.

 

CAPITULO II - Generalidades, Estudo de Situação, Resumo das Actividades

A - GENERALIDADES

O Sub-Sector de DALA confiado à responsabilidade do BCAÇ. 4617 a partir de 20MAI74, encontra-se na faixa Sul da área a cargo do Sector da LUNDA e Distrito da LUNDA, tendo como limites a ocidente o Rio CUANGO, a sul e leste o Rio CASSAI e a Norte, embora sem um acidente do terreno que o defina, é na metade leste o paralelo 10º 12' e na metade oeste, sensívelmente o paralelo 10º 31'.

Tem uma área aproximada de 35.000 Km2, equivalente à área da Provincia Ultramarina da Guiné. A sua maior extenção, no sentido OESTE-LESTE, são 430 Km e no sentido NORTE-SUL, de 160 Km.

Pela directiva n.º 10/73 de 27SET73 da ZML/3.ª Sec. foi atribuida ao CMD SEC LUN a responsabilidade pela conduta das operações de contra-infiltração na faixa fronteiriça correspondente à infiltrante geral SACAMBUNGE - MARCO 25, que delegou no BCAÇ 4617 a responsabilidade do cumprimento da missão, pelo que ficou sob controle operacional desta Unidade a região definida a NORTE e OESTE pelo Rio CASSAI, a LESTE pelo Rio LUAU e a sul pelo Rio LUTEMBO.

Conforme o Plano de Rendição, o BCAÇ 4617 substituiu o BCAÇ 4911 neste Sub-Sector de DALA, com a seguinte distribuição:

 

Sub-Sector de Dala

COMANDO E C.C.S. DALA
1.ª CCAÇ. CAZAGE
2.ª CCAÇ. ALTO CHICAPA
3.ª CCAÇ. CHIMBILA

Reforçam este BCAÇ. na sua missão, as seguintes Sub-Unidades:

 

 

Sub-Unidades adidas

CCAÇ. 205 LUMA CASSAI
CCAÇ. 206 NOVA CHAVES (Muconda)
2.ª CCAÇ (BCAÇ. 4210) TEIXEIRA DE SOUSA (Luau)
3.ª CCAÇ (BCAÇ. 4210) LUACANO
GRUPOS ESPECIAIS (GE's) - FIÉIS - FLECHAS .............

 

 

Subsector de Dala

B - ESTUDO DE SITUAÇÃO

Condições Meteorológicas

O clima, de fraca amplitude térmica, de tipo sudanês tropical húmido é agradável durante todo o ano à excepção do mês de Setembro em que a temperatura do meio âmbiente é elevada e no mês de Junho, contrariamente, em que o clima é bastante frio.

Estação seca do "cacimbo"

Prolonga-se desde meados de Maio a meados de Setembro, havendo a anotar as seguintes características:

- Dias claros, de intensos nevoeiros matinais, designdamente nas zonas abrangidas pelas chanas e vales, brumas intensas ao declinaar da tarde, o que limita o horizonte;

- Noites claras de luar, nas adequadas fases da lua, toldadas pela bruma que na região não chegaa originar cacimbos fortes;

- Durante o dia, temperatura com baixas oscilações e acentuado arrefecimento nocturno;

- Ausência total de chuva e, consequentemente, fraco nível no caudal dos rios;

- Vento moderado, normalmente de SSE, que por vezes sopra forte, especialmente na época de transição para a estação das chuvas, levantando grandes nuvens de poeira.

Estação das chuvas

- Decorre de meados de Setembro a meados de Maio, apresentando as seguintes características:

- Grande pluviosidade diária, em períodos de 2 a 3 horas, precedidas por rajadas de vento e acompanhadas de trovoadas intensas, cujas faíscas, ceifam por vezes algumas vidas;

- Brisas e ventos moderados de NE, rodando, porém, por vezes para Este;

- Periodos de sol quente e chuva intensa sucedem-se repetidamente;

- A pluviosidade atinge os valores mais elevados nos meses de FEVEREIRO, MARÇO e ABRIL, provocando, como é natural, o aumento de caudal dos rios que inundam as chanas que normalmente se situam nas margens daqueles.

Aquartelamento de Dala (Porta de Armas)

C - RESUMO DAS ACTIVIDADES

A actividade operacional das NT durante o período de rendição das Sub-Unidades, resumiu-se fundamentalmente ao seguinte:

- Patrulhamentos ofensivos;

- Contactos populacionais (acção-psico);

- Controlo e segurança de itinerários;

- Detecção e destruição de depósitos de material deixado pelo IN;

- Movimentos administrativos e logísticos;

- Protecção aos Trabalhos da JAEA.

publicado por webmaster às 16:47
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Sexta-feira, 10 de Abril de 2009

BREVE HISTÓRIA DA UNIDADE II

CAPITULO III - Generalidades, Resumo das actividades das NT, Comemorações do 1.º aniversário

A – GENERALIDADES
Na segunda quinzena de NOV74, este BCAÇ. Rendeu o BCAÇ. 4911/72 no Sub-Sector de Henrique de Carvalho, no Distrito da Lunda, possuindo uma área aproximada de 13.500 Km2, englobando 4 concelhos e 6 circunscrições.
fachada do Quartel de Henrique Carvalho
 
Vista aérea do Quartel de Henrique Carvalho
A ZA do Sub-Sector que abrange o Distrito da Lunda tem os seguintes limites gerais:
NORTE – Fronteira com a República do Zaire, desde os rios CUANGO, até ao rio CASSAI.
SUL – A fronteira com a República do Zaire, definida pelo talvegue do rio CASSAI desde o paralelo 7º 17’ até ao paralelo 10º 07’.
OESTE O talvegue do rio CUANGO desde o paralelo 10º 35’ até à confluência com o rio TUNGUILA.
Dispositivo do Batalhão
 
Conforme o plano de rendição, a distribuição das NT foi a seguinte:
 
COMANDO e CCS
HENRIQUE DE CARVALHO
1ª CCAÇ
CAMAQUENZO
2ª CCAÇ
- 2 GR. COMB.
LUCAPA
2ª CCAÇ
- 2 GR. COMB.
CACOLO
3ª CCAÇ
HENRIQUE DE CARVALHO

 

 

Reforçam este BCAÇ., na sua missão as seguintes Sub-Unidades:
 
CCAÇ. 5044
- 2 GR. COMB.
DALA
CCAÇ. 5044
- 2 GR. COMB.
CHIMBILA
CART. 6554
MUSSUCO
CART. 6555
CAMAXILO
CART. 6555
- 1 GR. COMB.
CAUNGULA

 

 

B – RESUMO DAS ACTIVIDADES DAS NT
A actividade operacional das NT, manteve-se idêntica, sofrendo alterações a partir e na sequência dos Acordos do Alvor, em JAN75, motivadas pela declaração conjunta de cessar-fogo e autorização de entrada dos movimentos independentistas no território, com vista à transição para a autodeterminação e independência do mesmo.
 
C – COMEMORAÇÕES DO 1º ANIVERSÁRIO
O 25DEZ74, havia sido comemorado, de forma condigna, com a realização de uma pequena festa, com organização do saudoso Alferes Lauro (minas e armadilhas), após a ceia natalícia, utilizando os dotes artísticos da “prata-da-casa”, que serviu de balão-de-ensaio para outros eventos que se aproximavam.
 O saudoso Alferes Lauro (à civil) apresenta as vedetas da festa
No dia 03ABR75, teve lugar a Festa de Aniversário deste Batalhão que teve o seguinte programa:
08H15 – Missa, na Sala do Soldado, celebrada pelo Sr. Major Capelão;
11H30 – Formatura Geral para entrega de Diplomas aos Militares louvados;
12H00 – Almoço melhorado;
15H30 – Final do Torneio de Futebol Militar da Lunda e distribuição de prémios às equipas;
18H00 – Jantar melhorado;
20H30 – Espectáculo comemorativo organizado pelos militares do Batalhão e AB-4, realizado no Cine-Chicapa de Henrique de Carvalho.
 
CAPITULO IV - Generalidades, Dispositivo Final, Alterações
A – GENERALIDADES
Em 25MAI75, este BCAÇ. Foi rendido na ZA pelo BCAV. 8322/74.
 
A CCS/BCAÇ. 4617, deslocou-se para LUANDA a fim de ocupar instalações no C. M. Grafanil, com vista a efectuar o espólio e aguardar embarque para Portugal.
 Instalações do Campo Militar do Grafanil
B – DISPOSITIVO FINAL
 
C.C.S.
1ª CCAÇ.
3ª CCAÇ.
C.M.GRAFANIL
2ª CCAÇ.
PRISÕES DA EX-GEI
S.PAULO/LUANDA
 
C – ALTERAÇÕES
Em 04JUL75, embarcou a CCS/BCAÇ. 4617, em voo TAM com destino a Lisboa, finalizando nesta data a sua comissão;
 
Em 06JUL75, embarcou a 1ª CCAÇ./BCAÇ. 4617, em voo TAM com destino a Lisboa, finalizando nesta data a sua comissão;
 
Em 08JUL75, embarcou a 2ª CCAÇ./BCAÇ. 4617, em voo TAM com destino a Lisboa, finalizando nesta data a sua comissão;
 
Em 10JUL75, embarcou a 3ª CCAÇ./BCAÇ. 4617, em voo TAM com destino a Lisboa, finalizando nesta data a sua comissão.
publicado por webmaster às 10:25
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.pesquisar

 

.posts recentes

. ENCONTRO 2014

. ENCONTRO 2013

. 11º ENCONTRO (2012)

. APRESENTAÇÃO DO LIVRO

. Encontro surpresa!

. 11º ENCONTRO DO BATALHÃO,...

. 10º Encontro do Batalhão

. 9º Encontro do Batalhão

. BREVE HISTÓRIA DA UNIDADE...

. BREVE HISTÓRIA DA UNIDADE...

.arquivos

. Abril 2014

. Janeiro 2013

. Maio 2012

. Abril 2012

. Dezembro 2011

. Junho 2011

. Setembro 2010

. Abril 2009

. Abril 2008

. Abril 2007

. Abril 2006

. Abril 2001

.links

.Visitaram até agora

blogs SAPO

.subscrever feeds